Níveis de backup: o que são e quais as diferenças?

Pensar sobre os níveis de backup é muito importante dentro da estratégia de integridade e segurança dos dados corporativos. Basicamente, existem dois tipos bastante utilizados pelas organizações em todo o mundo: em nível de blocos e em nível de arquivos.

Sobre isso, vamos conversar ao longo deste artigo.

Continue lendo para entender as diferenças entre backup em nível de blocos e em nível de arquivos. Você vai ver que um é mais focado na segurança no ambiente virtual e o outro tem como foco as partes específicas do arquivo!

A importância de uma boa estratégia de backup para as empresas

Quando analisamos o Relatório Anual de Segurança Cibernética da Cisco (2017), concluímos que os números relacionados a ransomware e outros tipos de ataques são bastante alarmantes. No relatório, também aprendemos que as empresas têm muito mais a perder do que apenas dados ou dinheiro durante um ataque (e também porque uma estratégia de backup de dados corporativos é tão importante).

Dê uma olhada nestes pontos trazidos pelo estudo:

  • mais da metade de todas as empresas que são vítimas de um ataque cibernético ou violação de dados são subsequentemente sujeitas a escrutínio público e sofrem perdas na reputação da marca, na fidelização de clientes e na confiança nos clientes;
  • 29% dos empreendimentos que são vítimas de ataques perdem receita e quase 40% deles perdem mais de 20% das receitas totais;
  • entre os negócios que sofrem ataques ou violações, quase um quarto perde oportunidades comerciais importantes em seguida;
  • mais de 20% das organizações que experimentam perda de dados ou sofrem um ataque cibernético também perdem consumidores. E 40% dessas perdem mais de 20% de sua carteira de clientes.

Uma boa estratégia de backup depende do sistema ou do site do negócio. Por exemplo, a empresa pode ter site institucional e não querer fazer backup periodicamente dos arquivos nele contido. Se o site tem mudanças a cada seis meses, então backup a cada três meses é ideal.

Mas, se a organização tem um software integrado de gestão empresarial (ERP) na nuvem, a importância de backup é muito maior, pois não pode perder informações geradas em curto período. Então haverá backup a cada uma ou duas horas.

É sempre importante ter backups, mas a periodicidade depende do sistema da empresa que roda ali. Depende muito do core business e das informações.

Todavia, é sempre importante ter backup. Se olharmos para o número de ataques cibernéticos que as empresas atualmente sofrem (e para a intensidade deles), sabemos disso sem muita teoria. No caso dos ataques “wanna cry” que aconteceram recentemente em nível mundial, somente o backup poderia retornar as informações danificadas, pois esse é um tipo de ataque (ransomware) no qual os discos rígidos são criptografados e ficam indisponíveis.

Daí que é importante escolher em que momento utilizar um dos níveis de backup, como veremos em seguida!

Níveis de backup

1. Backup em nível de blocos

O backup em nível de blocos analisa os arquivos de origem e faz cópias apenas das partes modificadas dos arquivos. Esse tipo de backup ignora o sistema de arquivos e lê dados diretamente do disco ou do volume.

Os aplicativos desse modelo podem ler dados nos mesmos blocos de tamanho que o sistema de arquivos ou em blocos de tamanhos diferentes. O tamanho do bloco pode ser ajustado para menor, o que resultará em um backup mais lento; já em um tamanho maior, ele será mais rápido.

Para que o backup de bloco funcione como foi projetado, é necessário que a opção “backup de bloco” seja ativada desde a primeira execução. Dessa forma, os blocos são criados para cada arquivo.

2. Backup em nível de arquivos

Já quando falamos em backup em nível de arquivos, estamos nos referindo ao tipo mais popular. Isso porque é mais fácil de entender e mais simples (tecnicamente falando).

Esse tipo de backup geralmente permite opções mais detalhadas e restauração, além da capacidade de excluir muitos dados que os usuários provavelmente não querem copiar.

Os backups em nível de arquivo também geralmente fornecem uma maneira mais flexível, agendamentos e cópias normalmente menores que as realizadas no formato de imagens de disco.

As diferenças entre os dois níveis de backup

Quando falamos em nível de usuário, o usuário verá o arquivo como um objeto só. Mas, em um nível mais baixo, o arquivo dentro do HD é dividido em blocos. Toda vez que o arquivo é modificado, um dos blocos é modificado, não o arquivo todo.

Quando é realizado um backup em nível de arquivos, é feita a cópia do arquivo. Em nível de bloco (quando é uma ferramenta que faz o backup em nível de bloco), ela verá se algum bloco do arquivo foi modificado e fará a cópia apenas desse bloco. Portanto, isso economiza mais espaço. Não haverá a cópia do arquivo como um todo. Essa é principal diferença.

As vantagens de cada um

Agora que já entendemos os dois conceitos e já delimitamos quais são as principais diferenças entre eles, vamos falar sobre as vantagens de cada um.

Em nível de bloco é mais rápido, porque só fará backup do que foi alterado, além de economizar mais espaço.

Se o usuário tem um HD que ocupa 20GB de arquivos, fazendo backup hoje e amanhã, terá 40GB em nível de arquivo. Em nível de bloco, se não houve mudança nos blocos, não é nem rodado o backup, pois não houve modificação e o backup anterior ainda é íntegro. Não haverá necessidade de outro backup. A própria ferramenta fará essa verificação.

Para o usuário final, pode não haver necessidade de fazer em nível de blocos. Essa é uma alternativa mais comum quando falamos em data centers.

Em suma, no mundo corporativo, o backup em nível de bloco tem a vantagem de não ter que percorrer o sistema de arquivos e depois disso comparar a diferença de arquivo por arquivo. Em nível de bloco é mais completo também, pois copia o disco inteiro.

Conclusão

O usuário final, geralmente, utiliza o backup em nível de arquivo, pois usa ferramentas como Dropbox ou Google Drive que, logicamente, fazem as cópias de segurança em nível de arquivo. Nesse caso, ele vai pegar arquivos e mandará para outro lugar.

Já em data centers o mais utilizado é em nível de blocos. Isso porque as ferramentas dentro do servidor rodam em nível de bloco.

O que você achou da reflexão que trouxemos acerca desses dois níveis de backup? Para receber mais textos como este em primeira mão no seu e-mail, assine agora mesmo nossa newsletter!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *