Migrar para a nuvem: como, quando e por quê?

A transformação digital não demorou muito para tomar conta do mundo corporativo. A tecnologia já se transformou em uma obrigação competitiva dentro das empresas, e migrar para a nuvem é parte básica deste processo.

Mas apostar em TI na nuvem não pode ser um passo dado de forma apressada ou sem planejamento, apenas para aderir a uma moda. Para realmente se beneficiar da cloud, é preciso entender por que migrar, como migrar e como se posicionar dentro de um negócio transformado digitalmente. Vamos começar?

Por que migrar para a nuvem

Quando falamos em não pensar na nuvem como uma moda, estamos nos referindo à importância dessa nova tecnologia para o mercado, que não pode ser tratada como mais um luxo dentro das empresas. A informação vem se tornando um dos principais ativos em todos os setores. É o insumo produtivo, a base estratégica de negócio e parte da entrega.

Portanto, a necessidade de lidar com dados não é uma questão apenas de vantagem competitiva, mas de sobrevivência. A nuvem é um caminho sem volta e a migração é uma questão de quanto tempo a sua estrutura pode se manter sem integração operacional e administrativa.

É também por causa da sua importância que a implementação da cloud computing, seja em servidores privados ou nuvens públicas, deve ser planejada com cuidado pelo profissional de TI. Ele precisa, principalmente, definir os benefícios que a empresa pode extrair da TI na nuvem e como se preparar para aproveitá-la ao máximo.

Uma questão de disponibilidade, preço e estrutura

Existem diversas razões para que a sua empresa decida investir em cloud computing daqui para frente. Como dissemos, esse é um movimento “inevitável” dentro de um negócio que deseja se modernizar para vencer em um novo mercado.

Mas é possível destacar alguns benefícios principais que podem transformar a produtividade, o compliance e os resultados da empresa quando bem implementados pela equipe de TI.

A primeira questão e a mais discutida é o preço. Muitos gestores embarcam sem pensar na cloud computing buscando uma redução significativa em seus custos com tecnologia, mas não é bem assim que você deve encarar a migração: ela não serve diretamente para diminuir o investimento, mas para oferecer mais aporte tecnológico ao negócio. Essa é a visão que o comprador deve ter da TI na nuvem, e saber que o melhor retorno financeiro nem sempre é o corte de despesas, e sim a eficiência de custos.

Outro ponto importante é a infraestrutura atrelada à cloud computing. Ao migrar para a nuvem, a empresa tem um sistema mais confiável e disponível, com ganhos em mobilidade, produtividade e compliance. Ou seja, esse é um passo importante não para simplesmente enxugar o suporte à operação, mas para inserir mais eficiência e automação em processos que antes eram um peso para o setor de TI e, consequentemente, para todos os outros departamentos.

Quais setores podem migrar para a nuvem?

Agora que conversamos sobre a importância da nuvem para o futuro, é hora de definir quais  de uma corporação podem migrar para a nuvem. A princípio, toda a estrutura que você utiliza hoje para gerir tecnologicamente a empresa pode ser substituída pela prestação de um serviço em cloud computing, mas listamos os pontos principais que podem beneficiar profundamente a forma como a empresa lida com tecnologia na produção:

Gerenciamento e manutenção de servidores

O carro-chefe da cloud computing é a possibilidade de substituir o investimento preso em bens de capital por serviços que ofereçam a infraestrutura necessária para operar e administrar um negócio.

Quando uma empresa terceirizada fica a cargo de manter e gerenciar os datacenters, toda a preocupação com atualizações de hardware e software, assim como sua disponibilidade, saem dos ombros da equipe interna e passam para o provedor, que oferece sempre a melhor tecnologia possível pelo preço que a empresa está pagando.

Gerenciamento de dados

Um fator importante de competitividade em um mercado transformado digitalmente é a capacidade da TI de lidar com um volume enorme de dados de forma integrada, centralizada e disponível.

Com a TI na nuvem, o fornecimento do que é necessário para lidar com essas informações fica a cargo da provedora. Armazenamento elástico, estrutura escalável e rotinas automatizadas de backup são exemplos de benefícios que um bom contrato de cloud computing traz para o negócio.

Desenvolvimento

Em muitos casos a tecnologia passa a fazer parte da entrega de uma empresa e a equipe de TI precisa trabalhar também com desenvolvimento para aprimorar a qualidade da sua produção.

Quando o desenvolvimento é migrado para a nuvem, os profissionais responsáveis ganham em colaboração e agilidade na hora de testar e validar suas soluções construídas internamente. O modelo SaaS, por exemplo, vem mostrando resultados incríveis para empresas que adotam a metodologia DevOps.

Segurança e suporte

Mesmo empresas grandes têm dificuldade de manter uma equipe própria exclusiva para a segurança de dados — um assunto cada vez mais sensível entre diretores e profissionais de TI. Os bons provedores de nuvem podem suprir essa vulnerabilidade oferecendo contratos de suporte atrelados ao serviço, com SLA definido tanto para manutenção quanto para resolução.

Um sistema seguro e com suporte de qualidade ainda estende seus benefícios aos outros departamentos. Qualquer problema, falha ou brecha, por menor que seja, pode ser identificado e corrigido rapidamente em um sistema integrado e apoiado em nuvem.

Como o papel do profissional muda com a TI na nuvem

Na transformação de todos esses setores influenciados pela cloud computing, existe uma coisa em comum: a nuvem vem não só para aumentar a produtividade e a segurança da informação, mas também para mudar a postura da TI dentro de uma empresa.

Todas as rotinas que caracterizavam a TI como um departamento de apoio (manutenção, backups, atendimento de chamados) começam a ser terceirizados. O aporte tecnológico tira da equipe interna o peso de resolver tudo com as próprias mãos.

Por outro lado, a digitalização do mercado no mundo inteiro começa a exigir outro papel dos profissionais da área. Antes preparados para o suporte, hoje o gestor de TI precisa pensar estrategicamente para contribuir com a sua empresa. Se a tecnologia atualmente faz parte da administração, operação e entrega, as suas ideias e atitudes influenciarão no sucesso diante da concorrência mais do que qualquer outro departamento.

Então, está pronto para o desafio? É hora de começar a planejar a migração da sua empresa, colocar a TI na nuvem e assumir o seu lugar como fundamental para o futuro do negócio.

E que tal começar sua pesquisa ficando mais informado sobre o assunto? É só assinar a nossa newsletter e receber mais artigos como este diretamente no seu e-mail!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *