5 tendências de TI que todo CIO precisa dominar

Vivemos uma época em que as mudanças de tecnologia acontecem cada vez mais rapidamente, o que causa constantes mudanças no comportamento do consumidor. Sendo assim, acompanhar as tendências do cenário digital é muito importante para quem é CIO e outros líderes de TI nas empresas.

O grande desafio é conseguir acompanhar todas novidades e ficar atualizado em relação às tecnologias emergentes dentro de uma rotina agitada e corrida.

Pensando em facilitar a sua vida, escrevemos este artigo que aponta 5 fortes tendências do cenário digital e por que quem é CIO deve estar atento à elas. Vamos começar?

1. Machine Learning

Machine learning está por todos os lados hoje em dia e é quase garantido de que você já utilizou algum produto que se aproveita dessa inovação.

Explicando de uma forma simplificada, trata-se do processo de utilizar algoritmos para a coleta de dados, aprendizagem com esses inputs e a realização de uma previsão ou escolha sobre algum assunto determinado. Através de machine learning, muitas tarefas rotineiras com um elevado grau de repetição podem ser automatizadas por máquinas. Ou seja, é possível passar as informações necessárias e ensinar os passos da atividade a ser realizada, para que esse tempo de seus funcionários seja melhor aproveitado.

Embora as possibilidades sejam enormes e existam algumas vertentes mais complexas como o deep learning, em que são desenvolvidas redes neurais artificiais para a definição de previsões e decisões com maior grau de variabilidade, a ideia geral se mantém.

Com isso, os exemplos de grandes empresas que utilizam machine learning em seus produtos já é extenso. Podemos citar as ferramentas de busca, como Google e Bing, que utilizam algoritmos para tanto aperfeiçoar os resultados de buscas de usuários quanto recomendações “auto-complete” que termina de preencher o termo que você está prestes a buscar.

Mais dois exemplos icônicos seriam a Amazon e Netflix que utilizam os algoritmos para realizar sugestões. No caso da Amazon, com base nos dados de histórico de compras e pesquisas, são feitas recomendações de novos produtos a serem consumidos. Com a Netflix a lógica é a mesma, em função das séries e filmes que você assistiu, realizam sugestões de outras obras a serem assistidas.

2. Cloud Computing

É bastante comum de se ouvir hoje sobres atividades sendo realizadas na nuvem, seja movimentação de aplicativos, arquivos ou gerenciamento de aplicativos. O conceito por trás dessa tecnologia é que a localização dos servidores em que os dados estão sendo armazenados não é conhecido e, por isso, o termo “nuvem”.

Pode ser que seu arquivo esteja em um servidor no próprio país quanto em outro continente. O que realmente importa é que todos os arquivos estarão disponíveis a qualquer hora pela internet.

A disponibilidade é a primeira vantagem de migrar um sistema para a nuvem, pois além de poder ser acessado a qualquer momento, também é possível encontrar em qualquer computador. Outra vantagem é a elasticidade de capacidade, caso seja necessário um maior nível de armazenamento, a única ação exigida é solicitar um upgrade.

Devido a essas vantagens, é fácil verificar que as grandes empresas já estão fazendo investimentos em cloud computing. Empresas como Amazon Web Services, Microsoft Azure e Google Cloud Platform são alguns dos principais players desse segmento, mas outros fornecedores, com opções mais personalizadas e diferentes atrativos, também entregam soluções de qualidade na nuvem.

Com essa tendências, surgem também oportunidades para quem é CIO, como serviços especializados em segurança dos dados para esse modo específico de armazenamento ou grandes quantidades de dados. Já que uma quantidade maior de dados, de todos os tipos de fontes e confidencialidades serão colocados em nuvens com o passar do tempo, os ataques cibernéticos, de pessoas mal intencionadas, também tendem a aumentar.

3. Realidade Virtual e Realidade Aumentada

A realidade virtual é uma tecnologia de interface que simula um ambiente virtual. O mais comum no momento é que ofereça estímulos visuais através de um aparelho visual específico, mas também pode oferecer estímulos sonoros e até mesmo táteis.

Os óculos de realidade virtual estão ficando cada vez mais populares e existem algumas iniciativas que chamam mais atenção. O Google Glass, por exemplo, não teve muito sucesso em sua primeira tentativa ao público em geral devido a problemas de privacidade; Spectacles do Snapchat também é uma iniciativa que chamou a atenção e, por fim, o HoloLens da Microsoft, que teve seu enfoque até então mais voltado ao mercado B2B, tem mostrado funcionalidades extremamente interessantes.

Outro ponto importante de se destacar é que, até o momento, as experiências de realidade virtual disponíveis ao público são experiências solitárias, em que apenas uma pessoa participa desse mundo. A tendência é que em um futuro próximo a imersão nesse universo seja em conjunto, de forma que através da internet várias pessoas possam interagir. As possibilidades para essa tecnologia, nesse caso, crescem exponencialmente.

Por um outro lado, existe também a tecnologia de Realidade Aumentada que possibilita a interação entre o mundo real e o mundo virtual. O exemplo mais notório e recente é o jogo Pokemon Go, que se tornou febre mundial. Neste caso, o mundo era visto através da camera do celular e os pokemons, que são os componentes virtuais do jogo, eram adicionados ao cenário e o usuário poderia interagir.

A realidade virtual se torna ainda mais imersiva quando os óculos de realidade virtual são utilizados da mesma forma. O próprio HoloLens da Microsoft, que foi citado, tem demonstrado funções interessantes para análise de componentes de carros ou até mesmo para realizar simulações de operações e cirurgias médicas. Com o aperfeiçoamento do nível de detalhes dessa tecnologia, as aplicabilidades serão imensas para o CIO.

5. Chatbots

Há quem pense que os chatbots são simples programas feitos para responder perguntas de usuários ou clientes de forma automatizada, mas, na verdade, são mais do que isso. Além de gerarem respostas, eles possuem tecnologia de inteligência artificial e machine learning integrados, o que quer dizer que também tem capacidade de aprendizado e aprimoramento em tempo real, o que faz reduzir diversos custos dentro das empresas.

Os chatbots estão em alta no cenário digital e são muito utilizados nas diferentes etapas do funil de jornada do cliente, ajudando tanto a obter informações de usuários quanto automatizar e acelerar processos. Por isso, podem atuar na área de atendimento ao cliente, relacionamento com usuário e até mesmo relacionamento com funcionários dentro da empresa. Em relação a onde se encontram, atualmente, é comum encontrar os chatbots funcionando no Messenger do Facebook ou nos chats de lojas virtuais.

Com isso terminamos nossas dicas sobre as tendências no cenário digital que são necessidades a serem conhecidas por qualquer CIO. Abordamos tecnologias que, com certeza, só serão faladas cada vez mais com o tempo e suas aplicações ainda irão nos surpreender. O que achou? Tem alguma tendência que você adicionaria a essa lista? Conte para a gente nos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *